sábado, 21 de maio de 2011

Meu marido me maltrata e debocha de mim mesmo grávida.

Pergunta:
Sou casada há 4 meses com um homem evangélico. Meu marido me trata muito mal, mas na presença de estranhos ou da familia ele me chama de meu amor, puxa a cadeira pra que eu me sente, é doce e carinhoso, no entanto quando estamos só nos dois ou em casa, ele é totalmente diferente. Me trata mal, me diz coisas horríveis e confesso que falo coisas pesadas pra ele também. Como dá pra notar, temos discussões sérias. No entanto, estou grávida de 3 meses e parece que ele piorou muito. Ele me pediu muito esse filho e agora eu escuto dele que eu que me dane, que eu que vá ter esse filho sozinha, que eu que me vire. Ele nunca me fez um carinho "paterno", nunca sonhou comigo sobre essa criança, nada. Parece que pra ele a gravidez está sendo um problema, mesmo porque ele só quer saber de sexo e como nao me sinto disposta, ele me cobra e briga comigo por isso tambem. Nao sei o que fazer, tenho passado muito, mas muito nervoso mesmo e temo muito pela saúde do meu filho. Sempre fui uma pessoa calma, mas de um tempo pra cá me tornei uma pilha de nervos e aí ele me culpa, fala que fico nervosa à toa. Peço muito a ele que nao me irrite, que me respeite, principalmente agora, mas parece que ele faz de propósito. Tudo que me chateia, que me incomoda ele faz o tempo todo e depois olha pra minha cara pra ver minha reação e sai dando risada. O que eu faço? Tenho medo de estar errada, mas tenho sofrido muito. Penso na separação, mas minha família não aceita.
Obrigada.

_____________________________________________________________

Resposta:
A família é instituição de Deus. Tente preservá-la o quanto puder. Porém, você está grávida e precisa de tranqüilidade para gerar o bebê. Pelo que vejo acabou o respeito por parte dele com você, ele te humilha e te maltrata verbalmente. Gostaria de saber se há brutalidade nessa relação. Bem, basicamente, você tem 3 caminhos. Primeiro, orar muito e pedir a Deus que mude o comportamento de seu marido, para que ele se converta (porque isso ele não é). Segundo, sair de casa temporariamente para que sua gravidez seja mais tranqüila alegando maltrato e deixando claro pra ele que dessa forma que está não pode continuar, ou ele muda, ou ele te perde. Terceiro, pedir a separação por abandono do lar, isto é, embora ele esteja lá fisicamente, não está afetivamente. Você não é uma máquina de sexo e precisa ser respeitada enquanto esposa porque a Bíblia diz claramente aos maridos que “amem suas mulheres conforme Cristo amou sua igreja”.

Lute o quanto for possível para ter sua família unida, mas se vc estiver sofrendo brutalidade ou algo do tipo, além da separação, aplique a lei Maria da Penha nele.

7 comentários:

  1. olha sou 100% a favor do comentario "acima ou abaixo" mas vivemos em um país que tem leis e que devem ser respeitadas lembrando que constitui crime qualquer conduta - ação ou omissão - de discriminação, agressão ou coerção, ocasionada pelo simples fato de a vítima ser mulher e que cause dano, morte, constrangimento, limitação, sofrimento físico, sexual, moral, psicológico, social, político ou econômico ou perda patrimonial. mas so completando oque nosso amigo disse violencia nao é só fisica não, procure qualquer delegacia, mas é preferível que você vá às Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAM), também chamadas de Delegacias da Mulher (DDM). Há também os serviços que funcionam em hospitais e universidades e que oferecem atendimento médico, assistência psicossocial e orientação jurídica.
    “ Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, a fim de a santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela palavra, para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.” Efésios 5:25-28 se isso não é real na sua vida sai fora que é fria mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Paz de Cristo, Pastor!!! Por favor, poderia me dizer como tu colocas aqueles banners animados dos blogs que segues? Gostaria de fazer igual no meu, pode me dar a dica? Meu blog www.cumprindoumchamado.blogspot.com
    email jornalista_tati@yahoo.com.br

    Obrigada!!

    ResponderExcluir
  3. Tati
    tem que ir lá em adicionar html nos gadgets e inserir o código do banner!

    ResponderExcluir
  4. Ah, obrigada Pastor.
    Mas e como faço um desses para meu blog? Em que site posso criar um? Obrigada mais uma vez e desculpe o incômodo!

    A Paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  5. nossa fica dificil de contar mas verdadeiramente comigo esta se passando a mesma coisa,sou casada com um homem evangélico,estou gravida de quase 4 meses sou casada a 3 anos no papel ao todo ja são 5 anos morando juntos e ele so me maltrata ja me traiu com a prima dele...e eu burra depois de 2 meses perdoei to muito mal com tudo isso ele sai me deixa falando sozinha.toda vez que tem medico pra ver se ta tudo bem com o bebê ele fica com cara ruim xinga... e ainda me maltrata ainda mais.hj tive medico ele foi comigo porem me torrou tanto a paciência e depois deitou no banco do carro como se eu nem estivesse ali ... me subiu uma raiva que quando vi ja tinha dado um soco bem dado no saco dele aff.. fiquei muito nervosa.ai ele saiu do carro e me deixou la sozinha ai deu a hora de ir pro medico e ele não voltou pro carro pra ir comigo e eu fui sozinha...chegando em casa ele so me maltratou da mesma maneira até pior.....

    ResponderExcluir
  6. Eu passei pelo mesmo problema durante a minha segunda gravidez.Meu marido só vivia me esculachando.E olha que somos evangélicos também, só que como não sou de levar desaforo pra casa eu também esculachava ele.Ele só me procurava quando sentia vontade de fazer sexo(por que eu não considerava como fazer amor)e quando eu dizia que não,ele começava a me humilhar dizendo que ia procurar na rua, que eu estava de frescura,falava que as esposas de alguns amigos dele estavam grávidas, não ficavam com essa palhaçada.Eu passei muito mal durante os 4 primeiros meses e ele simplesmente disse que era mentira minha, que era desculpa para eu não fazer nada em casa.Ele me tratava mal justamente pq eu não estava com a menor vontade de transar com ele,e quando eu cedia, eu fazia sexo com ele com nojo.Ele levava minha gravidez na brincadeira,tudo que eu falava pra ele em relação a isso, ele dizia que era frescura minha, que eu estava imitando minha amiga que tb estava gravida.Ele mudou quando eu completei 8 meses de gravidez e hoje meu filho já está com 8 meses e ele está todo feliz.E nós tb, apesar de algumas discussões.

    ResponderExcluir

Daqui pra frente só posta quem se identificar, os anônimos serão moderados. Quem quiser expressar opinião tem que bancar e mostrar a cara. Outra coisa, você tem o direito de se expressar, mas se houver agressão, o comentário será deletado.